Cart

One Child

“One Child, One Future!”

(Apadrinhamento à distância)

O Projecto ONE CHILD, ONE FUTURE surge a 24 Dezembro de 2007.
Inserido na ORBIS – Cooperação e Desenvolvimento pretende, de forma concreta, ajudar crianças de África (S. Tomé e Príncipe, Guiné Bissau e Moçambique) e Brasil. São crianças concretas, com uma história e rosto que podemos CONHECER e APADRINHAR.

Ajudar Quem?
Falamos de crianças que sobrevivem…com histórias de vida à qual o futuro é pouco risonho. O drama gritante da SIDA, da guerra, de catástrofes Naturais, de todos os problemas sociais que prendem as famílias à pobreza extrema, e tantos outros, são os factores que levam à nomenclatura pejorativa de “O Terceiro Mundo” bem como à sua necessidade de Missão. É com esta última que muito se vai fazendo. Contudo, é preciso mais. São precisas mais Mãos para garantir e CAPACITAR as pessoas pobres mas de esperança alargada.

Como?
É com parcerias locais de absoluta confiança e técnicos no terreno de Missão que a ORBIS vai fazendo a gestão necessária das informações, problemas e soluções necessárias para que este objectivo se cumpra no âmbito deste Projecto.

O que Fazer?

O que é necessário para “ingressar na lista daqueles que fazem a sua parte para melhorar o mundo”, apoiando Uma Criança, Um Futuro? O suficiente para garantir, pelo menos, uma refeição diária à criança assim como apoiá-la na Educação.
À distância de um gesto é possível mudar a vida das crianças mais frágeis. É uma ajuda rápida, eficaz e garantida. Para nós é menos de 1€ e um sorriso no coração. Para elas, as crianças, é uma vida salva a cada hora, com a oportunidade de ir à escola e de ter alimento.
Abra as suas generosas mãos e apadrinhe uma criança! Elas agradecer-lhe-ão.

Como fazer?

1 –
É com o apoio do terreno que, ao longo do ano, os “padrinhos/madrinhas” vão estabelecer alguns contactos com a criança “apadrinhada”. Isso deve acontecer pelo menos uma vez por ano – e, dependendo da disponibilidade dos parceiros no terreno, poderá acontecer mais vezes. Os parceiros da Orbis no terreno são voluntários e/ou missionários que disponibilizam o seu tempo para acompanhar as crianças que apoiamos. Graças a eles, cada padrinho sabe quem está a ajudar e cada criança sabe que é ajudada para que possa crescer com saúde, alimento e sabedoria!

2 – Não é objectivo deste projecto, nunca e em caso algum, a vinda das crianças a Portugal para ter um futuro brilhante, assim como não é que às crianças, bem de longe, se deixem embalar sobre a ajuda mensal/anual de alguém que o sustenta cá, numa Europa dita “rica e poderosa”, criando dependência da parte de quem é ajudado. O Projecto não se trata de assistencialismo, mas sim de apoio e capacitação sustentável. O propósito é que sejam estes rostos com nome e identidade a grande aposta humana, profissional e política das suas nações. O que a sua ajuda lhes vai permitir é que cresçam melhor no seu país e no seu meio social e económico.

3 – Falamos de entre três valores mensais, correspondentes a três modalidades de apadrinhamento:

  •  EU APADRINHO! – 25 € / mês – apadrinhamento individual completo de uma criança.
  • APADRINHA COMIGO! – 12,5 € / mês – apadrinhamento de uma criança por duas pessoas.
  • APADRINHA CONNOSCO! – 8,5 € / mês – apadrinhamento de uma criança por três pessoas.

4 – Procedimentos para a aderir ao projecto One Child, One Future:

  • a) Preencha o nosso formulário de apadrinhamento (siga o link disponibilizado no final da página). Se preferir, pode enviar um email para one.child@orbis.org.pt designando o país de preferência – S. Tomé e Principe, Moçambique, Guiné-Bissau, Brasil – que deseja apadrinhar.
  • b) Ser-lhe-á enviada uma Ficha de Identificação Pessoal, através do email ou pelo correio.
  • c) A ORBIS fará a atribuição da criança e dar-lhe-á esse conhecimento – nome da criança e situação familiar e social;
  • d) Até ao dia 08 de cada mês, deve efectuar o pagamento atendendo à modalidade seleccionada na Ficha de Identificação Pessoal;
  • e) Durante o ano receberá informação e feedback de como está a criança a crescer, de como vai na escola, e outras notícias sobre ela e a sua família, podendo também enviar e receber correspondência com a criança, a família, e a Missão onde ela vive!

5 – Durante o período de tempo em que durar o apadrinhamento, é possível que a criança se mude, com a família, para uma cidade onde a Orbis não se encontre ainda a trabalhar. Se isso acontecer o padrinho será informado e, com o seu consentimento, irá depois receber informações de uma nova criança para apadrinhar.

Obrigado!

  • Brasil

    Brasil situa-se na América do Sul. Apesar de ser o quinto país mais populoso do mundo, o Brasil apresenta uma das mais baixas densidades populacionais.
    É um país de extremos: ou muito rico ou muito pobre. Ou muito frio ou muito calor. Na Amazónia, o extremo é o calor e a pobreza. O sistema de ensino brasileiro foi o pior colocado num estudo promovido pelo Banco Mundial e por isso, com a ONE CHILD; ONE FUTURE, a ORBIS pretende apoiar as crianças, da maior ocupação dos Sem-Terra fugidos da floresta Amazónica para as cidades, não conseguirão vingar o seu desenvolvimento pessoal e profissional sem educação escolar e sem alimento certo na sua vida inocente de crianças deslocadas.

  • Guiné Bissau

    Guiné é um país da África Ocidental. Está entre as nações menos desenvolvidas do globo e entre os vinte países mais pobres. Depende fortemente da agricultura e da pesca. A população da Guiné é etnicamente diversa, com línguas distintas, costumes e estruturas sociais diversas.
    A percentagem de alfabetização da população é baixa (53.9%) e o arroz é o alimento que vai ajudando à sobrevivência. Mas… é preciso mais. É preciso educar e alimentar as crianças deste país em ordem ao futuro sólido, justo e seguro. É necessário que este deixe de estar no vislumbre da pobreza e miséria certas. O passo para isso é a Educação e a alimentação como capacitação para o amanhã de centenas de vidas.

  • Moçambique

    Moçambique é um país da costa oriental da África Austral, limitado a norte pela Zâmbia, Malawi e Tanzânia. Teve a sua independência em 1975 e faz parte da Comunidade de Países de Língua Portuguesa. A sua capital é Maputo. Cerca de 45% do território moçambicano tem potencial para agricultura, contudo 80% é de subsistência. Também a Indústria é muito pouco desenvolvida. Apesar de distante, a guerra civil, e também o flagelo da SIDA provoca muitas crianças órfãs que não têm como ter uma vida digna se não lhes dermos a mão
    A reconstrução da economia é dificultada pela situação de pobreza extrema, agravada pela cíclica dinâmica de cheia – período de seca. O norte interior do país é o mais afectado nesta armadilha.
    Uma Criança, Um Futuro… que é preciso apoiar. A ORBIS está ao serviço com todas as ajudas possíveis, sobretudo em Inharrime e Mambone.

  • S. Tomé e Príncipe

    S. Tomé e Principe é um país-arquipélago que fica situado ao largo do golfo da Guiné e é atravessado pelo Equador; tem, aproximadamente, 190 mil habitantes distribuidos pelas duas maiores ilhas (a ilha de S. Tomé e a ilha do Principe) e foi em tempos um país extremamente rico em recursos naturais, que começam agora a esgotar-se: o mar e o terreno fértil garantem ainda o sustento da população daquele que foi um dos maiores produtores de cacau e café do mundo. A população é predominantemente rural e vive em casas de madeira ou em estruturas degradadas: as antigas roças.
    A taxa de escolarização é baixa, não apenas porque muitas crianças vão para os campos para ajudar nos trabalhos agrícolas mas também porque a formação de professores é escassa e mal paga – principalmente no interior do país – o que leva ao abandono escolar precoce.